quarta-feira, 23 de Fevereiro de 2011

VISITA A SABÓIA

Com a recente criação do Conselho Municipal da Juventude de Odemira, a Juventude Socialista como parte integrante do mesmo, tem a responsabilidade e o dever de defender políticas que correspondam aos interesses e expectativas dos jovens e da população em geral, junto dos Órgãos que comandam os destinos do Concelho de Odemira.
Nessa medida, com intuito de aprofundar conhecimentos e identificar problemas, a JS Odemira, iniciou um ciclo de visitas pelas diversas freguesias deste concelho, começando por Sabóia, no passado dia 19 de Fevereiro.
O grupo de jovens começou por visitar a sede de freguesia, Sabóia, passando pelos símbolos que outrora tiveram uma enorme importância no desenvolvimento socioeconómico desta freguesia do interior do concelho de Odemira, nomeadamente a Fábrica de Moagem e a de Cortiça. Apesar de não visitada, não podemos deixar de lembrar a extinta fábrica do tijolo, que em tempos empregou boa parte da população local. Esta visita foi guiada por dois jovens de Sabóia, associados da JS, que a par da visita, foram identificando problemas que actualmente afligem a sua freguesia e q ue gostariam de ver solucionados.
Entre conversas, notou-se que uma das maiores preocupações passa por travar o decréscimo populacional que se verifica, outro desafio é encontrar solução para o despovoamento do espaço rural, e para o crescente envelhecimento da população, ao mesmo tempo que a falta de emprego faz com que os mais jovens partam para outras terras em busca de melhores condições de vida. Outro tema já recorrente, prende-se com o facto do comboio Inter-Cidades não parar na estação de Sabóia/Santa-Clara. É incompreensível que Odemira tenha 4 estações de caminho de ferro, e em nenhuma delas pare o comboio Inter-cidades.
Ao longo da caminhada pelas ruas de Sabóia foram entretanto surgindo motivos de conversa como a crescente degradação e abandono do núcleo urbano, os poucos espaços verdes que oferece, ou a falta de um pequeno parque industrial, assim como a deficiente oferta de transportes colectivos, entre outros.
Entre as pessoas abordadas nas ruas, verificou-se que a maior preocupação de momento centra-se na possível redução das consultas médicas na extensão de saúde local. A verificar-se esta situação se três dias de atendimento, por vezes, eram insuficientes, tal redução agravará ainda mais a já difícil situação.
Durante uma breve visita à Estação de Sabóia/Santa-Clara, foi possível verificar a diferença de políticas entre o Município de Odemira e a empresa Estradas de Portugal. Nota-se claramente o esforço do Município em manter as estradas municipais em boas condições, o que não se verifica relativamente à EP, é de referir o péssimo estado em que se encontra a EN 266.
Após o almoço realizou-se uma reunião de balanço que contou com a presença do vice-presidente da junta de freguesia de Sabóia, na qual foram abordados os problemas identificados, tentando-se, por outro lado, encontrar estratégias e indicar direcções para contrariar a actual situação. É fundamental incentivar a fixação de pessoas na freguesia e evitar a fuga dos jovens que ainda a habitam. Essas políticas poderão passar por trabalhar incentivos à habitação, criação de empregos, entre outras. É necessário que a população activa de Sabóia e em especial os jovens, saibam entender o ambiente que os envolve e sejam capazes de promover e melhorar os seus próprios negócios, criar pequenas e microempresas, em áreas como o apoio domiciliário a idosos, o aproveitamento de recursos naturais, tais como a produção de mel, medronho e lacticínios, floresta, pecuária, entre outros.
Queremos ainda saudar a forma hospitaleira como fomos recebidos, um bem-haja a Sabóia.

terça-feira, 22 de Fevereiro de 2011

JS ODEMIRA INICIA JORNADAS DE TRABALHO PELO CONCELHO













JS Odemira inicia Jornadas de Trabalho pelo Concelho de Odemira

Dando cumprimento ao Plano de Actividades da Juventude Socialista de Odemira para 2011, inicia-se este sábado em Sabóia um ciclio de visitas de trabalho às diferentes freguesias do Concelho de Odemira, cuja a finalidade passa por aprofundar o conhecimento dos problemas que afligem as populações locais.
Estas visitas pretendem chamar os jovens para o debate, provocando o confronto de ideias afim de canalizar os seus contributos para a construção de um concelho melhor. Pretende-se igualmente produzir um relatório das visitas efectuadas e dos problemas levantados, que será enviado às diferentes entidades com capacidade para os solucionar.
Esta jornada contará com a presença de representantes da JS Odemira, da Junta de Freguesia de Sabóia, e de jovens da freguesia.

terça-feira, 1 de Fevereiro de 2011

"Aprovado Plano de Ordenamento do Parque Natural"


Foi na passada sexta feira, dia 28 de Janeiro, que os autarcas de Odemira, Aljezur, Vila do Bispo e Sines, em conferência de imprensa realizada em Aljezur, exigiram a revogação da resolução aprovada na última quinta-feira em Conselho de Ministros e as demissões do Secretário de Estado do Ambiente, Humberto Rosa e da direcção do Instituto de Conservação da Natureza e da Biodiversidade. O principal motivo desta tomada de posição reporta-se à aprovação do plano de ordenamento do PNSACV, cuja versão final não foi disponibilizada às autarquias envolvidas no processo de revisão do documento, conforme acordado, " ...o que revela um completo desrespeito e falta de seriedade por todos quantos participaram na discussão pública do documento, e fuga ao diálogo para o qual os municipios sempres estiveram disponiveis"...

segunda-feira, 6 de Dezembro de 2010

Conselho Municipal da Juventude Aprovado


Foi no passado dia 26 de Novembro em reunião extraordinária da Assembleia Municipal, que foi aprovado por unanimidade o regulamento que visa a criação do Conselho Municiapal da Juventude do Concelho de Odemira, conselho este que resulta de uma proposta de lei apresentada na Assembleia da República em 2007, pela Juventude Socialista.


Os CMJ são um orgão consultivo, composto por representantes das mais diversas forças vivas da comunidade, nomeadamente a Câmara Municipal, Assembleia Municipal, as Juntas de Freguesia, as Associações de Estudantes, as organizações Partidárias Jovens, Políticas, Profissionais, Artísticas, Sociais, Cívicas e Relegiosas, assim como Colectividades Culturais, Desportivas e Recreativas.


O principal objectivo dos CMJ é envolver os agentes dinâmicos da juventude presentes no concelho e fazê-las tomar parte activa na definição e na prossecussão da politica de juventude no Concelho.


Os CMJ em geral podem e devem assumir um papel activo e decisivo na defesa dos projectos e que os jovens têm para os seus movimentos associativos e partidários, para as suas terras, freguesias, municípios e para o seu país. Deverão ser por exelência, fóruns de debate, orgãos de apoio, de informação e consulta, junto das Câmaras Municipais, onde estarão representadas as ornanizações juvenis de cada municipio e de onde poderão partir acções que visem a resolução dos problemas locais.


Estão então criadas as condições necessárias para que haja um espaço aberto de discussão, de liberdade e de afirmação, onde os jovens do nosso concelho possam afirmar a sua responsabilidade, capacidade interventiva e construtiva, participando assim directamente na construção de um futuro, futuro esse que por natureza aos jovens pertence.


quarta-feira, 21 de Julho de 2010

Novo Líder Nacional da JS



Pedro Alves eleito novo líder da JS
2010-07-18
Pedro Alves foi hoje, domingo eleito secretário-geral da Juventude Socialista, sucedendo a Duarte Cordeiro, que sai por ter atingido o limite de idade permitido.
A lista de Pedro Alves foi a única a ir a votos no Congresso que decorreu este fim-de-semana em Lisboa.
De acordo com dados da organização, Paulo Alves recolheu 188 votos a favor, num total de 213 votantes.
Cinco congressistas votaram contra esta lista única, tendo sido contabilizados 20 votos em branco.
Duarte Cordeiro, que agora abandona a liderança da JS, apenas esteve no cargo dois anos (um mandato).
O novo líder da JS tem 29 anos e é docente da Faculdade de Direito.
Fonte: JN

terça-feira, 27 de Abril de 2010

Assembleia Municipal- Sessão Solene de 25 de Abril em Odemira




Dário Guerreiro coordenador da JS Odemira, membro da Assembleia Municipal, no momento da intervenção do Partido Socialista na sessão solene da Assembleia Municipal de Odemira alusiva ao 25 de Abril.

Intervenção:

"Não é por acaso que estamos aqui hoje reunidos neste local, a assinalar uma data tão especial para todos nós. Penso que não seja necessário alongar-me sobre o tema, até porque todos aqui presentes, apesar de alguns como eu terem nascido depois do 25 de Abril de 74, tem ciente o que realmente significa esta data histórica, o quanto mudou o rumo do nosso país, e os nossos destinos. A história das nações comprova que as revoluções, na nossa sociedade são uma constante, tudo é mutável, tudo se altera, tudo tem a tendência para se tornar instável, existiu e sempre existirá a queda e o fim de ciclos, épocas e movimentos, sendo esta uma inevitabilidade do processo de mudança. Partindo deste principio podemos afirmar que Portugal não foi excepção à regra, a nossa história é rica em revoluções, não tivéssemos nós nascido da (“Revolução de um filho contra a sua mãe”); somos ricos em grandes feitos, em grandes descobertas, em grandes vitórias e conquistas. Ao longo da história o povo português deu provas de uma grande capacidade de adaptação, de lidar e enfrentar novos desafios, dificuldades, e vencer os medos, fomos nós que enfrentamos os mares desertos, imensos lagos sem fim, que levariam qualquer navegador a que nele se ousasse entrar, a cair no abismo. Nunca desistimos, nunca baixamos os braços, sempre acreditamos que depois da tempestade viria a bonança, e a verdade é que passados 800 anos de história nem sempre brilhante, aqui estamos nós hoje na nossa luta para ter um Portugal cada vez melhor, cada vez mais aberto e cada vez mais livre, onde a palavra Liberdade possa ser ensinada, aprendida e acima de tudo Vivida.


Não quero ser fastidioso, alongando-me no discurso, nem incidir sobre a semântica das palavras, não pretendo dar lições ou de modo algum tecer considerações acerca do nosso passado, pois sobre a história os historiadores encarregar-se-ão de o fazer.

Passados 36 anos sobre a revolução do 25 de Abril, que nos devolveu a liberdade, a democracia e a liberdade de expressão, Portugal encontra-se num momento algo instável, nota-se um certo descontentamento, diria mesmo um certo estremecer, um mau estar na sociedade, e em especial na classe política. O povo português mostra uma certa insatisfação em relação ao funcionamento da nossa democracia, algum cansaço e descrédito para com políticos, e sempre que as coisas não correm pelo melhor, muito rapidamente se atribui as culpas aos políticos e aos governos. Devido a esta situação nos últimos anos, assistiu-se a um afastamento e a um desinteresse cada vez maior da parte da sociedade, e em especial dos jovens em relação à política, talvez porque muitas vezes se confunda “Politica” com “Partidos Políticos”, ou simplesmente porque não nos ensinaram a entender as diferenças, ou ainda porque alguém nos tenha mantido afastados desse entendimento. Muitos cépticos e alguns menos optimistas teimam em dizer que a situação é preocupante, e que ainda tenderá a piorar, que a nossa democracia poderá estar “ameaçada”, tentado muitos vezes comprová-lo através da análise de resultados eleitorais, e das cada vez maiores taxas de abstenção ocorridas nas eleições dos últimos anos. Sinto no entanto com grande optimismo que as coisas não estão assim como esses cépticos dizem, as coisas estão a Mudar, pelo menos em Odemira, basta olhar para composição desta assembleia, para constatar que de facto que as coisas estão realmente a mudar. Vê-se aqui muita gente jovem, dinâmica, com ideias novas, interessada, com vontade de participar, dar a sua opinião, intervir no destino da sua terra, do seu concelho, e do seu país, aqui está a prova que queremos participar nessa democracia que o 25 de Abril nos devolveu, aqui está a prova que o 25 de Abril existe, é uma realidade constante, e que vivemos em democracia plena. Como nós, a nossa democracia é ainda jovem, e que como qualquer jovem, tem um futuro longo à sua frente, um longo processo de aprendizagem a percorrer, do qual não nos podemos abstrair, mas sim intervir e construir, construir em conjunto com as gerações mais velhas, que com certeza nos ajudarão nessa construção, mas ao mesmo tempo espero que sejam capazes de nos ouvir, aceitar as nossas opiniões, confiar em nós, aconselhando-nos, e mostrando o caminho certo a seguir e acima de tudo aceitar a mudança. Importa também que, essa geração seja capaz de reflectir, identificar e assumir os erros do passado, pois só assim saberemos como evita-los no futuro. Seremos todos nós em conjunto que daremos continuidade à nossa grande história, só assim e em conjunto construiremos uma democracia mais forte, uma sociedade mais justa, onde possam imperar os valores mais nobres da raça humana, e onde os ideais da revolução dos cravos se possam confundir com o simples facto de ser português. Seremos ainda nós que transportaremos os ideais de Abril para o futuro, e tenho a certeza que enquanto houver um português, os ideais de Abril nunca cairão por terra."

Terminando em jeito de brincadeira pois hoje a liberdade me permite, posso agora aqui mudar as palavras do ditado, “que enquanto houver vida há esperança”, pois eu digo, “que enquanto houver um português, haverá 25 de Abril”.


A todos um bem-haja.

Viva a Juventude! Viva Odemira! Viva Portugal. Viva o 25 de Abril!

quarta-feira, 14 de Abril de 2010

Jornadas da Juventude

Jornadas da Juventude 2010














Programa das Jornadas da Juventude

Mais uma vez acontece neste mês de Abril em Odemira, as Jornadas da Juventude, que tem como principal objectivo a mobilização da população jovem do concelho, assim como a divulgação do trabalho realizado pelas instituições escolares, e associações juvenis.
De entre as várias actividades apresentadas no programa, a JS Odemira gostaria de ressalvar a importância da Assembleia Municipal Jovem, que têm este ano como mote a "Territorialidade".
Numa crescente complexidade da vida e das sociedades modernas, implica cada vez mais uma maior participação dos indivíduos que dela fazem parte. Os jovens têm aqui uma cota parte de responsabilidade, pelo que não se devem abster de expressar as suas ideias e opinões, contribuindo assim para uma sociedade cada vez mais justa e igualitária.
A Assembleia Municipal Jovem do próximo dia 22 de Abril, é aberta à população em geral, por isso aparece, faz-te ouvir.